Categorias de mães e a mãe que posso ser

Tenho pra mim que as mães se dividem em 3 categorias básicas: a mãe que se culpa por tudo, a mãe que não sente culpa nenhuma e a mãe que erra, se arrepende, pede perdão e bola pra frente!

A mãe que se culpa por tudo é muito fácil de identificar, já que é nessa categoria que a maioria das mãe se encaixam, pelo menos em algum momento da vida materna.

Quando o filho se machuca, a criatura vai logo correndo e gritando "como é que eu não percebi que meu filho poderia tropeçar naquela pedra antes? Eu sou uma péssima mãe mesmo, não mereço meu filho!"

Se ela precisa corrigir seu filho, uma batalha interna é travada: "a culpa é minha ou é dele? Afinal ele pode ter desobedecido porque eu não fui clara, não soube me comunicar, acho que quem desobedeceu fui eu, não ele..."

E se depois de horas nessa luta sangrenta entre "eu e eu mesma" ela não conseguiu inventar mais nenhuma desculpa e finalmente chegou à conclusão que realmente terá que corrigir o filho, ela treme toda, chora, fica deprimida e decide que vai esperar marido chegar pra ele fazer o "serviço".

A mãe que não sente culpa nenhuma também é muito fácil de identificar. Entre suas frases favoritas estão: "eu fiz o meu melhor" ou "se errei foi querendo acertar" ou ainda aquela que pra mim é a pior: "eu fiz por amor". Sempre que escuto uma dessas vem logo a figura da Dona Armênia em minha mente. Lembra dela? 



Ah, a Dona Armênia! Essa não sentia culpa nenhuma, nunca. Afinal, ela é uma pessoa muito boa, muito compreensiva, né não? As pessoas é que não entendem suas ótimas intenções! E seus "filhinhas" não a merecem!!!

Seu filho lhe deve gratidão eterna pela dor do parto, pelos anos de dedicação e pelos kg a mais.
E se ele tem a audácia de dizer que ela errou em alguma coisa, ela encontra logo uma explicação. Aliás, justificar é algo que essa categoria de mãe sabe fazer bem! Pra tudo há algum motivo.

Por fim, existe a categoria mãe que erra, se arrepende, pede perdão e bola pra frente! Ela sabe que errou, conhece suas limitações, mas entende que tão importante quanto acertar, é saber pedir perdão quando se erra. Não é difícil de identificar, porque normalmente é uma pessoa desencanada, sem grandes traumas.

Digo "normalmente" desencanada porque depois que a gente vira mãe, difícil ser desencanada o tempo todo, né colega? A gente até tenta...

Mas o fato é que, independente do tipo de mãe, todas amamos nossos filhos. E é por causa desse amor que eu realmente acredito que a mãe que eu posso ser depende única e exclusivamente de mim. Não depende do meu marido e muito menos dos meus filhos.

Eu sou responsável pelas escolhas que faço. Eu escolhi ter filhos. Eu sou responsável pela forma com que lido com os perrengues que existe no processo de se educar um filho. Sou eu quem vai escolher fazer certo ou errado. Porque mãe também erra. Mas o fato de eu ser mãe não justifica os meus erros. Pelo menos eu entendo dessa forma.

E você, o que acha?


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Ocorreu um erro neste gadget

  © Mulher, Mãe, Filha e Cia

Design by Emporium Digital